quinta-feira, 10 de novembro de 2011

1962 Ghia L

Chique demais!

4 comentários:

Alexandre Zamariolli disse...

Duas características tornam esse carro - na verdade, chamado "Dual Ghia Coupe" - muito interessante:
- o slogan da Ghia dizia que "Rolls-Royce é o carro de quem não pode ter um Dual-Ghia";
- os que podiam era gente do naipe de Frank Sinatra, Dean Martin e, se a memória não me trai, Sammy Davis Jr;
- de acordo com esta foto, o carro que ilustra o post parece ser o mesmo que pertenceu ao Dean Martin.
Como dá para ver, um carrinho básico, quase popular.

Migdonio disse...

Alexandre, mais uma vez obrigado pela aula, o carro é classudo demais mesmo, o slogan da Ghia para o carro era ótimo!
Voce sabe dizer motorização dessa carro, etc...?

Alexandre Zamariolli disse...

Migdonio,
Dei uma fuçada e consegui achar algumas informações.
Esse carro teve duas gerações, ambas com mecânica Chrysler.
A primeira, produzida de 1956 a 1958, usava o motor do Dodge D-500, um V8 de 315 polegadas cúbicas (5163 cm³). Antes que alguém pergunte, esse motor era da família Hemi e, portanto, nada tinha a ver com os 318 que equiparam os Dodge tupiniquins.
O carro do post é da segunda geração (Ghia L 6.4), que adotou o motor 383 (6278 cm³) com carburador quadrijet - a mesma usina que foi parar sob o capô de inúmeros Challengers e Barracudas da vida.

Alexandre Zamariolli disse...

Corrigindo meu primeiro comentário: segundo o site Carthrottle.com, a frase que eu atribuí à Ghia teria partido de um colunista social, para quem "o Rolls-Royce é o carro para os ricos de Hollywood que não podem ter um Dual-Ghia".
Fato é que, independentemente da fonte, dá bem para perceber quão exclusivo esse carro era.
Mais sobre ele, em inglês, está aqui.